Proifes e sindicatos federados realizam pressão no Congresso contra as reformas da Previdência e Trabalhista

O PROIFES-Federação realizou, nesta quarta-feira, mais um dia de intensas atividades no Congresso Nacional, em conversas com parlamentares para reforçar seu posicionamento contra a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287 de 2016, mais conhecida como Reforma da Previdência, e contra a Reforma Trabalhista.

As professoras Cláudia Miranda, Andréa Hack e Raquel Bezerra, da APUB-Sindicato, o professor Marcos Vieira, da ADUFSCar, e professor Nilton Brandão (SINDIEDUTEC-PR), tesoureiro e diretor de aposentadoria e previdência do PROIFES,  estiveram com deputados de diferentes partidos ressaltando a disposição da Federação, dos docentes de Instituições Federais de Ensino Superior, e dos movimentos sociais em geral, em lutar contra as reformas da Previdência e Trabalhista.

Os representantes do PROIFES conversaram com os deputados federais Silvio Costa (PTdoB-PE), Bebeto (PSB-BA), Davidson Magalhães (PCdoB – BA), Esperidião Amim (PP –SC), Reginaldo Lopes (PT-MG) e com a deuputada federal Erika Kakay (PT – DF).

A professora Cláudia Miranda (APUB-Sindicato) destacou que a ação  foi importante porque permitiu o contato com “alguns parlamentares cujos partidos fecharam questão na rejeição à reforma da Previdência, e falamos inclusive com parlamentares da base governista, alguns, poucos, prometeram até votar contra a reforma”.Outro ponto importante da ação, segundo Cláudia, foi que “nos permitiu levantar mais elementos contra a reforma Trabalhista, argumentos que vão nos auxiliar a ampliar a mobilização em nossas bases, organizando os movimentos de resistência e ampliando a denúncia das manobras para tentar aprovar essa retirada massiva de direitos que esta reforma representa”.

Para o professor Brandão, as conversas tiveram como tônica o efeito das movimentações populares na rejeição e resistência dos deputados e deputadas a aprovarem a PEC 287. “Os parlamentares foram enfáticos em destacar as mobilizações do dia 15 de março como um ponto marcante no aumento da resistência à aprovação da reforma da previdência, tanto na Câmara quanto no Senado, e ressaltaram a importância da greve geral do dia 28 para pressionar o Congresso a rejeitar as reformas do governo Temer. Até por isso o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, adiantou a votação da reforma trabalhista para antes da greve”, avaliou Brandão.

Durante a atividade no Congresso, o deputado Jean Wyllys gravou para o PROIFES um depoimento sobre as reformas trabalhista e da previdência, e a importância da mobilização popular para barrar esses retrocessos.

Esta é a segunda ação, em menos de um mês, que o PROIFES realiza com parlamentares no Congresso Nacional. No dia 6 deste mês, diretores e membros do Conselho Deliberativo (CD) do PROIFES entregaram a deputados e deputadas, senadores e senadoras, documento com dez pontos inaceitáveis da PEC 287.

Acompanhe esta e outras notícias na seção especial Reforma da Previdência no site do PROIFES

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu