Spread the love

O PROIFES-Federação, mantendo seu compromisso de pressionar semanalmente parlamentares a rejeitarem os projetos, medidas e leis que atacam servidores federais e desmontam o serviço público brasileiro, esteve nesta terça-feira (5) conversando com o presidente da Comissão de Educação da Câmara Federal, deputado Caio Narcio (PSDB-MG), além dos deputados Aliel Machado (Rede-PR) e Elvino Bohn Gass (PT-RS).

Na reunião com Narcio, o vice-presidente do PROIFES-Federação, Flávio Silva, e o tesoureiro Nilton Brandão entregaram ao deputado o Manifesto do PROIFES-Federação em defesa dos servidores federais e do serviço público, e pediram apoio para a rejeição da Medida Provisória 805/2017, que pretende adiar a reestruturação da carreira dos docentes, negociada pelo PROIFES com o governo em 2015, e consolidada na Lei 13.325/2016.

Ao presidente da Comissão de Educação da Câmara os representantes do PROIFES também solicitaram apoio contra a Medida Provisória 792/2017, que estimula a demissão de servidores estabelecendo um Programa de Demissão Voluntária, e contra o PLS 116/2017, que estabelece regras para a demissão de servidor público estável por “insuficiência de desempenho”.

O deputado destacou seu interesse pelos temas, ressaltando que algumas das reformas são necessárias, “mas o professor não pode sair prejudicado. É uma categoria que tem que ganhar bem e ser valorizada”, afirmou, acrescentando que realizará um estudo mais detalhado dos temas e projetos apontados pelo PROIFES.

Já na reunião com o deputado Aliel, representante da REDE na Comissão de Educação da Câmara, os representantes do PROIFES, após entregarem o Manifesto, ouviram declarações de apoio às causas apresentadas, e um pedido do deputado para que os sindicatos e federações ampliem as mobilizações com os parlamentares, além de especial atenção com a Medida Provisória 795/2017, que concede isenções tributárias para a indústria de petróleo que podem ultrapassar R$ 1 trilhão em 25 anos, com impacto nas receitas para a educação no país.

O deputado Bohn Gass, por sua vez, destacou a importância do trabalho realizado pelo PROIFES, e sugeriu que outras entidades e movimentos sociais ocupem o Congresso e procurem parlamentares para ampliarem as pressões pela rejeição de projetos que representem retrocessos para o serviço público, para a educação, e para o Estado brasileiro, a exemplo do que vem fazendo o PROIFES, pela terceira semana consecutiva.

Fonte: PROIFES-Federação