Spread the love

A Apub tem articulado, junto com a Assufba e o DCE/UFBA, a realização de atividades conjuntas em defesa da universidade, do serviço público e dos direitos. Uma primeira ação será um ato político-cultural, no dia 13 de dezembro, a partir das 15h, na Praça das Artes (campus de ondina da UFBA).

Manifesto Apub, Assufba e DCE

Nós, docentes, servidores/as técnicos/as administrativos/as e estudantes da Universidade Federal da Bahia, estamos juntos/as na luta contra o desmonte da educação e do serviço público, a retirada dos direitos trabalhistas e sociais e recrudescimento do conservadorismo e da intolerância.

Diante de uma conjuntura na qual o golpe de 2016 abriu caminho para a implantação, à revelia da vontade popular, de uma agenda ultraliberal, de encolhimento do nosso Estado e entrega de nossas riquezas; na qual os direitos historicamente conquistados e os avanços das últimas décadas são atacados numa velocidade quase atordoante, o autoritarismo prolifera e o fascismo parece não mais ter vergonha de mostrar-se na esfera pública, acreditamos que somente a unidade de forças progressistas e populares será capaz de apontar um outro caminho.

Acreditamos que a democracia é um valor essencial e nenhuma sociedade pode, sem ela, garantir a liberdade e a justiça. Defendemos a educação pública e gratuita e uma universidade inclusiva, onde o debate de ideias e espaço para o contraditório jamais se confunda com discurso de ódio. Defendemos o serviço público de qualidade como garantidor da soberania nacional e dos direitos fundamentais dos economicamente vulneráveis. Repudiamos o desmonte da nossa ciência e tecnologia, áreas estratégicas para nosso desenvolvimento, e os ataques aos direitos trabalhistas e previdenciários.

O futuro do país está ameaçado e cabe a todos/as nós ampliar a resistência. Esse é o nosso compromisso.

REIVINDICAÇÕES:

– Pela revogação da Emenda Constitucional 95 e da Reforma Trabalhista;

– Não às privatizações e à Reforma da Previdência;

– Contra a Medida Provisória 805 e demais medidas que atacam o funcionalismo;

– Pela recomposição do orçamento das IFES e por mais verbas para Ciência, Tecnologia e Inovação;

– Em defesa de serviços públicos de qualidade para a população;

– Por uma universidade pública, gratuita, inclusiva e democrática