Spread the love

Na oportunidade comissão eleitoral, representante da Chapa “Somos Ufba e comunidade universitária debateram sobre os desafios para o próximo mandato

Na tarde da última segunda-feira (21) docentes, discentes e técnicos-administrativos do Instituto Multidisciplinar em Saúde do campus Anísio Teixeira da Universidade Federal da Bahia estiveram reunidos no debate da campanha de consulta para reitor e vice-reitor da Universidade.

Pela primeira vez na história da UFBA, o certame é realizado com uma única chapa. Para a coordenadora da seção Apub Sindicato do CAT, Leila Cruz, esse fato é “surpreendente e fantástico porque, às vezes, a gente duvida da capacidade das pessoas de conseguirem focar nas convergências. Fiquei feliz, achei positivo e relevante nesse momento político, que vemos uma ofensiva muito forte contra todos os serviços públicos, especialmente contra a educação superior, que é ainda um espaço de formação crítica”. A professora ressaltou ainda a importância de realizar o debate no Instituto, já que muitos estudantes recém-chegados à UFBA ainda não conheciam o reitor e vice-reitor, enfatizando a necessidade de garantir a maior participação possível da comunidade diante desta conjuntura.

Na opinião do professor João Carlos Salles, candidato à reeleição para o cargo de reitor, realizar a campanha, mesmo como chapa única, foi importante para que ele e seu vice, professor Paulo César Miguez, ouvissem as demandas da comunidade universitária a fim de corrigir eventuais falhas do primeiro mandato. Além disso, “é uma campanha em defesa da universidade pública”, disse.

Entre os assuntos colocados em pauta pelos estudantes, houve um destaque para as questões relacionadas à assistência estudantil, seja de maneira geral ou específica como no caso do apoio aos estudantes remanescentes de comunidades quilombolas. Já os técnicos-administrativos pautaram o incentivo para a formação continuada no interior, do mesmo modo que vem ocorrendo em Salvador com a oferta de turmas de mestrado destinadas à categoria, e também a questão das condições de trabalho no campus.

Docentes trouxeram questões como investimento na estrutura do Instituto, a importância do CAT para formação de profissionais na região, a participação em congressos organizados e sediados pela UFBA, além da importância política na consulta.

O reitor finalizou a conversa afirmando sobre o quão relevantes são esses espaços de diálogo e a “importância de mantermos uma relação ainda mais estreita com interesse na defesa da universidade pública”.