Spread the love

Foi realizada ontem (07), Assembleia Geral Apub, que teve como pontos de pauta a análise da conjuntura, a agenda de mobilização em defesa da democracia, soberania e desenvolvimento nacional e os temas do  XIV Encontro Nacional do PROIFES-Federação. A mesa foi composta pelo vice-presidente Ricardo Carvalho e pelas diretoras Raquel Nery e Danielle Medeiros. Coube a Raquel Nery fazer os informes da diretoria que incluíram a participação do sindicato na Conape 2018, as atividades do Dia Nacional de Luta pela redução do preço do gás e dos combustíveis e a preparação para a CRES 2018. Dentre os informes da plenária, o professor Ivan Maia (IHAC) fez o convite para a atividade que o instituto promove pela comemoração dos 50 anos do maio de 1968, no dia 11 de junho, às 19h, na Aliança Francesa; o representante docente no Consuni, professor Cristóvão de Brito (Igeo) relatou a reunião específica do Conselho para formação da lista tríplice para a reitoria da UFBA, que ratificou o resultado da Consulta com o atual reitor João Salles na primeira posição.

Para a análise de conjuntura, a Assembleia contou com a participação de Átila Barbosa, do Sindipetro-BA, que falou sobre a crise no mercado de petróleo internacional e as consequências para a Petrobrás no contexto pré e pós-golpe, quando houve mudanças na política da empresa, tanto na fixação dos preços dos combustíveis quanto na diminuição da capacidade de refino. Segundo ele, isso implica numa estratégia de desmonte gradual da empresa como parte da agenda neoliberal. Também ressaltou a importância de relacionar esse debate com a questão da privatização do setor elétrico e agradeceu a colaboração da Apub na luta.

Em seguida, docentes também contribuíram para a análise. Foi enfatizada a necessidade de construção da unidade do campo progressista para o enfrentamento deste cenário de ataques ao patrimônio e à soberania nacional, e da centralidade da defesa da Democracia. Outra questão que teve destaque entre as falas foi a importância de retomar o debate sobre a construção de uma Greve Geral e a defesa da liberdade do ex-presidente Lula. Para o professor João Augusto Rocha (Politécnica/aposentado), a pauta “Lula Livre” não significa preferência ao candidato, mas sim a defesa do Estado Democrático de Direito. Já a professora Maíra Kubik (FFCH) falou sobre a preocupante pauta da intervenção militar presente, inclusive, durante a greve dos caminhoneiros, e ainda lembrou da paralisação dos servidores técnicos-administrativos, chamando a atenção novamente para a necessidade de articulação entre os setores da universidade.

Encontro do PROIFES

Na pauta sobre o XIV Encontro Nacional do PROIFES-Federação, a diretora Raquel Nery retomou a participação da Apub na Conape para explicar a atuação da entidade em defesa da educação e do Plano Nacional de Educação, questões que também serão levadas para o Encontro. Segundo ressaltou, um dos papeis importantes do movimento docente neste debate está na formulação de propostas concretas que sustentem o argumento de que o Estado, não a iniciativa privada, deve garantir a educação como direito de todos e todas. No evento, também será discutida a questão da Emenda Constitucional 95 e a luta por sua revogação, que deve ser unitária e central para todas as entidades, não apenas do movimento docente.

A Assembleia tirou os seguintes encaminhamentos:

– Retomada do debate sobre a Greve Geral;

– Retomada das atividades do Comitê contra o golpe, com o nome “Lula Livre”;

– Aumentar a mobilização nas bases do sindicato, inclusive através de reuniões nas unidades com a diretoria do sindicato;

– Aprimorar as articulações entre Apub, CUT, Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo;

– Realização de uma Assembleia entre docentes, servidores técnico-administrativos, estudantes e trabalhadores terceirizados;

– Elaboração de manifestos sobre os 35 anos da Uneb, que tem como tema Lutar e Resistir, e outro sobre autonomia universitária.