Spread the love

O PROIFES-Federação se solidariza com os professores Ubaldo Balthazar (reitor da Universidade Federal de Santa Catarina) e Áureo Moraes (seu chefe de gabinete), que estão sendo ameaçados com prisão e multa por não terem reprimido manifestações de denúncia ao abuso de autoridade policial que levou à morte do então reitor Luiz Carlos Cancellier.

Ao mesmo tempo, o PROIFES-Federação expressa seu contundente repúdio a mais esta ação que visa impedir o direito de livre expressão do pensamento, e que, ao procurar intimidar e silenciar manifestações legítimas, coloca-se em absoluto descompasso com o que deve prevalecer em um Estado Democrático de Direito.

Trata-se de um ataque a todos os educadores brasileiros e, em particular, aos professores e professoras das redes federais de Universidades e Institutos Federais.

Trata-se de uma inaceitável tentativa de cerceamento da autonomia universitária, em clara violação dos princípios e valores inscritos na Constituição Federal de 1988, carta magna do Brasil.

O assédio moral às Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), pela via da criminalização do pensamento crítico é incompatível com a construção de um Brasil justo, democrático, desenvolvido e soberano.

Não iremos, portanto, tolerar a imposição de um Estado policial, que se manifesta com iniciativas como essa, que visam impedir que o abuso de autoridade, cometido quando da invasão ao campus em 2017, seja exposto e denunciado.

Como representante de professores e professoras de Universidades e Institutos Federais, o PROIFES-Federação denuncia publicamente essas lamentáveis e inadmissíveis ações, afirmando e reafirmando a sua firme e inabalável disposição de resistir a quaisquer tentativas de retorno a tempos obscuros de arbítrio e autoritarismo.

PROIFES-Federação, 28 de agosto de 2018