Spread the love

A Apub participou no dia 13 de setembro do I Encontro Norte e Nordeste de Associações e Sindicatos do Movimento Docente, evento promovido pela Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pernambuco (Adufepe), que trouxe como principal tema a defesa da universidade pública.

WhatsApp Image 2018-09-13 at 15.20.45

A presidenta da Apub e vice-presidenta do PROIFES-Federação, Luciene Fernandes, participou como expositora da roda de diálogo “Movimento Sindical na Atualidade: o Nordeste Contra a Privatização das Universidades Públicas”. Em sua fala, denunciou os cortes que as universidades, institutos federais e a ciência e tecnologia estão sofrendo nos últimos anos, destacando dados da Universidade Federal da Bahia, além de ressaltar a importância de projetos como o da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab). “É um projeto fundamental para quebrar a lógica eurocêntrica da universidade e do seu currículo, além da concepção de interiorização e acesso democrático a universidade, tão necessários para a  consciência crítica e fator essencial para o desenvolvimento e soberania do país”, afirmou Luciene, que na sua contribuição ainda tratou da importância das atividades da Apub neste contexto nacional, como a campanha Conhecimento Sem Cortes e a experiência do I Congresso Docente da Apub, que aconteceu em agosto e foi uma evento crucial para a mobilização de professores e professoras.  Por fim, parabenizou a Adufepe pela iniciativa que, acima de tudo, mostrou a força do Norte e do Nordeste no enfrentamento do golpe e da crise que assola nosso país.

A roda também contou com as contribuições de Nilton Brandão, presidente do PROIFES, Edeson Siqueira (ADUFEPE), Érika Suruagy (ADUFERPE), Francisco Wellington (ADURN-Sindicato), Ênio Pontes (ADUFC-Sindicato), Arkley Bandeira (SindufMA), Maria do Socorro Pereira (ADUFPI), Irailde Correia e Ana Maria Vergne (ADUFAL). Para o presidenta da da ADURN, Francisco Wellington, o debate é a chave da transformação. “Estamos vivenciando um momento marcado por cortes e congelamentos, e para defender a educação superior é preciso debater formas para mudar a situação”.

Idealizado  pela Diretoria da Adufepe, o evento foi articulado com docentes do Sindicato da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (ADURN) e com o Sindicato das Universidades Federais do Ceará (ADUFC-Sindicato). “Estamos buscando unir o movimento docente do Norte e Nordeste em defesa da universidade. Esse encontro é um desdobramento da Frente Pernambucana em Defesa da Universidade Pública e foi pensado junto aos professores Ênio Pontes e Francisco Wellington. É uma articulação interestadual em resposta ao que aconteceu no país”, detalhou o presidente da Adufepe, professor Edeson Siqueira.

WhatsApp Image 2018-09-13 at 15.21.04

À tarde, a mesa redonda “Financiamento da Universidade pública” contou com a participação dos professores Gil Vicente (ADUFSCAR) e Sérgio Rezende (UFPE). Gil Vicente utilizou dados para reforçar como a EC 95 desconstrói as conquistas atuais, destacando a necessidade de garantir a eleição de candidaturas comprometidos com a revogação da emenda. Já o ex-ministro de Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, apresentou os avanços da C&T durante 10 anos e lamentou a situação atual. Na opinião dele, só a luta dos movimentos pode barrar a falta de investimentos.

Ao final, foi aprovada a Carta de Recife em Defesa da Universidade Pública, a qual destaca o papel da universidade como propulsora do desenvolvimento regional e denunciam o desmonte destas instituições provocado pelo corte dos gastos e pela Emenda Constitucional (EC) 95.