BNCC, Previdência e Educação Básica nas IFES no 2º Encontro Nacional de Educação Infantil do PROIFES

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), os Impactos da Reforma da Previdência para docentes do ensino infantil, básico e fundamental, e o futuro da Educação Básica nas Instituições Federais de Ensino foram os destaques do segundo dia do 2º Encontro Nacional de Educação Infantil do PROIFES-Federação, realizado de 5 a 7 de fevereiro em Natal, capital potiguar.

A primeira mesa do segundo dia teve por tema a Base Nacional Comum Curricular, documento que define as aprendizagens que todos os alunos do Brasil devem desenvolver em cada etapa da Educação Básica, por Maria Rita Barbosa, professora da Faculdade de Educação da UFRGS, para quem a BNCC deve ser uma adaptação, um diálogo com o que a escola já tem. A docente contextualizou o surgimento e o desenvolvimento da BNCC e suas discussões em cada etapa, defendendo que, apesar de imperfeito, a Base é um instrumento a ser apropriado pelo docente.

“O documento curricular é universal, a prática é a leitura local que o professor faz, uma leitura contextualizada da Base. É fundamental que a gente tenha um projeto educativo, e a Base tenta sintetizar um projeto de formação humana. Na escola, o professor não pode dizer que não vai trabalhar com a Base, ela é uma política de estado. Podemos dizer ao professor como trabalhar com a BNCC, que leitura ele pode fazer, e isso é um outro tipo de resistência contra o autoritarismo da BNCC. A universidade está perdendo esse lugar porque faz resistência à Base, e não uma leitura dela junto com os professores”.

Para Maria Rita, a universidade analisa apenas o contexto de influência, “mas não construímos uma estratégia política de contra-hegemonia, deixamos para os professores [das escolas municipais], que estão trabalhando sessenta horas. Ninguém vai lá ajudá-los a discutir a Base, então eles só a reproduzem. Não basta só fazer a análise, tem que fazer intervenção. Os professores da rede pública estão muito preocupados com sua sobrevivência, vivemos um momento sério de posições contrárias à Base, e temos que pensar muito bem nossos compromissos”, afirmou a pesquisadora.

Neste sentido, Denise Carvalho, da UFRN, ressaltou o papel fundamental que os docentes das universidades têm na discussão da BNCC. “Para a implementação da Base o que se o que se impõe para nós das universidades é uma responsabilidade imensa. Os docentes das unidades de educação infantil das universidades têm um papel fundamental da discussão deste documento, um lugar de vanguarda, de destaque nas discussões, porque têm essa condição diferenciada. A implementação ainda está em curso, em muitas instituições ela nem começou, temos muito trabalho pela frente ainda”, destacou.

Na segunda mesa da manhã, com o tema “O futuro da Educação Básica nas Instituições Federais de Ensino Superior (IFES)”, Viviane Cancian, presidente da ANUUFEI, detalhou dados das criações das Unidades de Educação, sua distribuição regional e especificidades. Para Cancian, o futuro “é a garantia de unidade, que não vem só com a legislação do governo, mas sim com o trabalho que realizamos dentro das universidades. Temos reitores que apoiam, mas também reitores que não apoiam, por isso temos que mostrar a qualidade do que produzimos e o impacto disso para nossos estudantes de graduação. Há uma luta externa, mas também temos uma luta interna, muitas vezes nem os professores das unidades acreditam nela. Então tem que haver muito diálogo para dentro, para fortalecer. Não é só educação infantil, é de educação básica que precisamos falar na universidade. Na medida em que discutimos a educação básica, fortalecemos as universidades”, ponderou a presidente da ANUUFEI.

Já Walter Silva, presidente do CONDICap, frisou que é necessário para os professores das unidades de educação infantil e escolas vinculadas  se apropriarem da carreira do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT), apesar das dificuldades de convivência interna e resistência nas próprias unidades. “A luta não é entre nós, é contra esse governo que quer desmontar a educação. Quando olhamos o quadro das IFES, das escolas vinculadas, do EBTT, muita coisa mudou, com a luta do próprio PROIFES, que fez com que o EBTT existisse. Essa luta é um trabalho de formiguinha, quando consideramos o que é a história da educação. Viver é uma arte, mas conviver em uma escola é superar esta arte. Temos que aprender a conviver, mas é um processo complexo. A precarização começa com nós, muitas vezes a solução está ao nosso lado, em nossas escolas. Fortalecer e saber conviver com todos os segmentos da escola é privilégio de poucos”.

Desde que esse governo assumiu há um ataque direto às universidades e para enfrentar o desmonte das IFES precisamos de estratégias, precisamos entender o contexto, afirmou Zilmar Rodrigues, secretário de educação básica, técnica e tecnológica da UFRN. “Até mesmo a defesa do governo do Future-se é feita de modo a desmoralizar a universidade e a pesquisa que se faz aqui. É um governo que não gosta da educação. É uma concepção neoliberal que não é nova. Nesse contexto, ainda temos que nos legitimar dentro da universidade, é o tempo todo uma desconfiança de nossa capacidade na pós-graduação. Parece que o EBTT só se realiza plenamente nos Institutos Federais. Temos que ir para o debate qualificado , não podemos aceitar soluções simplistas para problemas complexos.”

No período da tarde, o diretor de assuntos jurídicos do PROIFES-Federação, Eduardo Rolim (ADUFRGS-Sindical) apresentou sua palestra com o tema “Os impactos da Reforma da Previdência para os professores da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio”. Rolim detalhou aos docentes presentes as mudanças sobre os cálculos de aposentadoria que a recente Reforma da Previdência terá sobre as diferentes gerações de docentes, e quais os impactos financeiros que estas alterações terão para estes professores. Acesse aqui a apresentação completa: Os impactos da Reforma da Previdência para os professores da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio apresentada por Rolim no Encontro.  

Encerrando o segundo dia, a professora Gilvânia Pontes, professora do Núcleo de Educação da Infância (NEI) da UFRN apresentou a palestra “A metodologia do tema de pesquisa como articuladora da construção do conhecimento”, na qual apresentou um estudo de caso sobre a metodologia no processo de formação de docentes, debatendo um currículo em movimento, seus percursos, transformações e atuação do sujeito produzindo sentidos para sua formação.

Gilvânia destacou a importância da mediação docente e a abordagem das artes visuais na Educação infantil, e da formação de professores no campo da Arte e Educação, Educação Física e Infância, citando a experiência do Circo e seus elementos no contexto de aprendizagem de uma turma de estudantes do NEI, trabalhando Ciências e Artes a partir da experiência dos próprios estudantes com elementos circenses. “A metodologia passa por esse processo de formação de docentes, ela já existia, mas tivemos que nos apropriar dela no contexto do NEI. Não foi fácil instituir o NEI como um local de produção de conhecimento de qualidade. Fazemos a formação também dos estudantes de graduação no NEI, como estágio, observação e cursos de extensão, o que produzimos aqui tem o compromisso de comunicar conhecimento para outros professores”, concluiu Gilvânia.

Acompanhe esta e outras notícias sobre o 2º Encontro Nacional de Educação Infantil do PROIFES-Federação nos sites e redes do PROIFES e do ADURN-Sindicato:

PROIFES

Twitter: twitter.com/proifesfederal
Facebook: facebook.com/proifesfederal
Youtube: youtube.com/proifesfederacao
Instagram: instagram.com/proifesfederacao

Vídeos do 2º Encontro Nacional de Educação Infantil do PROIFES-Federação:

Mesa de abertura
A BNCC na Educação Infantil: Uma Análise da sua Implementação na Escola
O futuro da Educação Básica nas Instituições Federais de Ensino
A reforma da previdência: o impacto na aposentadoria das professoras e professores da educação básica
Metodologia do tema de pesquisa como articuladora da construção do conhecimento
 Download


Resistência e luta marcam abertura do 2º Encontro Nacional de Educação Infantil do PROIFES-Federação

Resistência e luta marcam abertura do 2º Encontro Nacional de Educação Infantil do PROIFES-Federação

 05/02/2020

Resistir contra os ataques à educação pública brasileira, valorizar os docentes e os servidores públicos federais, e lutar pela manutenção da educação básica vinculada às Instituições Federais de […]Veja Mais


Fórum Nacional Popular de Educação define calendário de ações para 2020

Fórum Nacional Popular de Educação define calendário de ações para 2020

 05/02/2020

A coordenação executiva do Fórum Nacional Popular de Educação (FNPE) reuniu-se nesta terça-feira, 4, na sede do PROIFES-Federação, em Brasília (DF), para traçar o cronograma e planejamento de ações para o ano […]Veja Mais


ADUFRGS se reúne com reitoria da UFRGS para tratar sobre portaria que restringe o deslocamento de pesquisadores

ADUFRGS se reúne com reitoria da UFRGS para tratar sobre portaria que restringe o deslocamento de pesquisadores

 03/02/2020

A diretoria da ADUFRGS se reuniu na manhã desta quarta-feira, 29, com o reitor da UFRGS, Rui Vicente Oppermann, para tratar dos efeitos e consequências da Portaria 2.227/2019, que modifica os procedimentos para afastamento da sede e do país e concessão de […]Veja Mais


Alerta sobre a revisão das Progressões Funcionais dos professores

Alerta sobre a revisão das Progressões Funcionais dos professores

 03/02/2020

O novo entendimento do IFPR sobre o termo inicial das progressões traz grandes prejuízos financeiros e funcionais aos docentes. O SINDIEDUTEC-PR tomou conhecimento de que o IFPR (Instituto Federal do Paraná) está revisando as progressões funcionais […]Veja Mais


ADUFRGS lança campanha em defesa da Ciência e da Educação

ADUFRGS lança campanha em defesa da Ciência e da Educação

 03/02/2020

“A Ciência e a Educação são conquistas fundamentais do homem para a vida das pessoas, povos e nações. Estão presentes em tudo”, aponta a diretora de Comunicação da ADUFRGS, Sônia Mara Ogiba. “Mas […]Veja Mais


Docentes da UAC/UFSCAR integram delegação da ADUFSCAR no 2° Encontro Nacional de Educação Infantil do PROIFES

Docentes da UAC/UFSCAR integram delegação da ADUFSCAR no 2° Encontro Nacional de Educação Infantil do PROIFES

 03/02/2020

A Educação Básica nas IFES é o tema central do 2º Encontro Nacional de Educação Infantil do PROIFES – Federação, evento que ocorrerá na cidade de Natal (RN), numa organização conjunta do PROIFES e da ADURN – […]Veja Mais


CD do PROIFES planeja ações em defesa da educação pública para 2020

CD do PROIFES planeja ações em defesa da educação pública para 2020

 03/02/2020

A primeira reunião do Conselho Deliberativo (CD) do PROIFES-Federação, realizada nesta sexta-feira, 31/01, e sábado, 1/02, definiu o planejamento estratégico de ações e mobilizações para o ano de 2020, em um contexto de ataques […]Veja Mais


ADUFRGS se reúne com reitoria da UFRGS para tratar sobre portaria que restringe o deslocamento de pesquisadores

ADUFRGS se reúne com reitoria da UFRGS para tratar sobre portaria que restringe o deslocamento de pesquisadores

 30/01/2020

A diretoria da ADUFRGS se reuniu na manhã desta quarta-feira, 29, com o reitor da UFRGS, Rui Vicente Oppermann, para tratar dos efeitos e consequências da Portaria 2.227/2019, que modifica os procedimentos para afastamento da sede e do país e concessão de […]Veja Mais


ADURN - SISU: como o governo está destruindo a educação pública superior?

ADURN – SISU: como o governo está destruindo a educação pública superior?

 30/01/2020

Por Wellington Duarte, presidente do ADURN-Sindicato O caos se estabeleceu definitivamente no Ensino Superior, o que não é nenhuma surpresa dada a gestão catastrófica do ministro da educação, que desde abril de 2019 tem a tarefa de destruir o ensino […]Veja Mais


SINDIEDUTEC: A quem interessa uma eleição de Conselho Superior nas férias?

SINDIEDUTEC: A quem interessa uma eleição de Conselho Superior nas férias?

 30/01/2020

As inscrições para participar do processo eleitoral que escolherá os membros do Conselho Superior vão até domingo, dia 2 de fevereiro. A data, já definida desde o ano passado e publicada e edital desde o dia 20 de dezembro de 2019, só foi […]Veja Mais


Mais de 50 entidades científicas endossam nota que solicita revisão de portaria do MEC sobre deslocamento de pesquisadores

Mais de 50 entidades científicas endossam nota que solicita revisão de portaria do MEC sobre deslocamento de pesquisadores

 30/01/2020

Cerca de 60 entidades científicas de todo o País já endossaram a carta que a  Academia Brasileira de Ciências (ABC) e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) enviaram ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, solicitando […]Veja Mais


Portaria regulamenta a concessão de diárias e passagens na UFG

Portaria regulamenta a concessão de diárias e passagens na UFG

 30/01/2020

Em resposta ao ofício encaminhado pelo Adufg-Sindicato (que você pode ler aqui), em relação à Portaria 2.227 publicada no dia 31 de dezembro pelo Ministério da Educação (MEC), a reitoria da UFG publicou a Portaria nº 279, de 28 de […]Veja Mais


PROIFES e CONIF reúnem-se para discutir autonomia das IFES e MP 914

PROIFES e CONIF reúnem-se para discutir autonomia das IFES e MP 914

 29/01/2020

O PROIFES-Federação reuniu-se nesta quarta-feira, 29, com o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (CONIF), na sede desta entidade, em Brasília (DF). Na pauta […]Veja Mais


“Contexto político, social e econômico causa adoecimento emocional da população”, diz Sônia Ogiba

“Contexto político, social e econômico causa adoecimento emocional da população”, diz Sônia Ogiba

 28/01/2020

A ADUFRGS-Sindical participa da campanha Janeiro Branco – Precisamos falar sobre saúde mental. Para trazer luz ao debate, o Portal Adverso publica uma série de reportagens sobre o tema. Nesta, a diretora de Comunicação da ADUFRGS e psicanalista Sônia Mara […]Veja Mais


ADUFRGS lança Campanha Saúde mental é uma questão sindical

ADUFRGS lança Campanha Saúde mental é uma questão sindical

 27/01/2020

A ADUFRGS lançou a “Campanha Saúde mental é uma questão sindical”, em oficina integrante da programação oficial do Fórum Social das Resistências e articula uma rede de sindicatos e profissionais para debater e apoiar docentes nas […]Veja Mais


Facebook
Twitter
Email
WhatsApp
Close Menu