Carta da Apub Sindicato às/aos colegas docentes sobre o 30 de maio

A educação pública e a universidade estão sob ataque. Não é a primeira vez na História, mas, no governo Bolsonaro, este ataque tem adquirido formas amplas e grotescas. Avaliar com tranquilidade, esclarecer e mobilizar a sociedade em defesa da Democracia e da Universidade pública são tarefas que os democratas têm assumido nesse contexto. Nela, a Apub tem tido atuação fundamental e até protagonismo, representando seus quase 3 mil filiados e filiadas. Os objetivos desta carta são relembrar as ações desenvolvidas nessas manifestações históricas em defesa da Educação, anunciar e convocar para os próximos passos.

A Apub tem sido sede da articulação que deflagrou a Plenária e o ato do dia 06 maio, construído também pela Assufba e DCE/UFBA. O expressivo ato que, a partir da Faced, se deslocou para a Reitoria da UFBA, abriu as ‘Jornadas de Maio’ na Bahia e até no Brasil. Nossa grande Assembleia docente do dia 07 de maio, aprovou a paralisação da categoria nos dias 15 de maio e 14 de junho e definiu a nossa linha de atuação. Já no dia 14 de maio, o sindicato construiu, junto com as entidades coirmãs, plenária e passeata em São Francisco do Conde, em defesa da UNILAB. 

A Greve Geral da Educação, em 15 de maio – primeira grande manifestação popular após a eleição de Jair Bolsonaro – mostrou o apoio da sociedade à pauta da educação. A Apub esteve na coordenação do ato em Salvador, articulado também em parceria com outras entidades. 

O retumbante sucesso das manifestações do #15M motivou a UNE, honrando seus mais de 80 anos de luta, a convocar o movimento estudantil para uma nova manifestação do dia 30, dando continuidade à luta em defesa da educação pública e mobilizando para a Greve Geral das/os Trabalhadoras/es já convocada pelas Centrais Sindicais para 14 de junho. 

E o que as professoras e professores podem fazer no dia 30?

O protagonismo do movimento estudantil recebeu imediato apoio e impulsionamento das forças sociais populares e democráticas, inclusive das entidades ligadas à educação, que estão solidárias na luta. Diante disso, a Apub conclama as professoras e os professores a se somarem ao movimento do dia 30 e fornece as seguintes orientações:

  • Buscar alternativas pedagógicas à aula presencial, lançando mão do recurso legal da atividade à distância, conforme previsto no Regulamento de Ensino de Graduação e pós-graduação da UFBA, artigo 137, parágrafo primeiro:
    §1o Os componentes curriculares dos cursos presenciais de graduação e de pós-graduação stricto sensu poderão, integral ou parcialmente, ser ofertados na modalidade a distância, desde que esta oferta não ultrapasse vinte por cento (20%) da carga horária total do curso.
  • Não registrar frequência, nos casos em que for inevitável a atividade presencial;

    A luta continua!
    A Apub está convocando uma Assembleia Geral para o dia 04 de junho, com o objetivo de organizar a mobilização que construirá, junto com as Centrais Sindicais e os movimentos sociais e populares, a grande Greve Geral das/os Trabalhadoras/es no dia 14 de junho. Fiquem atentas e atentos ao nosso site e redes sociais para novas atualizações. 

Documento para download em pdf

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu