Orçamento de 2022 para universidades não repõe perdas de anos anteriores

Orçamento de 2022 para universidades não repõe perdas de anos anteriores

✂️O orçamento federal de 2022 para a educação comprova, novamente, o descaso do governo de Jair Bolsonaro com as universidades federais e com a ciência: faltarão quase R$ 2 bilhões para custear a manutenção das instituições, segundo estudos da Andifes.

📉 O orçamento destinado às universidades federais vem despencando, especialmente depois do golpe que levou Michel Temer ao poder.

💲 O orçamento do MEC para despesas discricionárias (gastos básicos como água, luz, limpeza, segurança, insumos, reformas, bolsas estudantis etc) em 2011 foi equivalente a R$ 12 bilhões (em valores corrigidos pela inflação). O de 2021 é de R$ 4,5 bilhões, mas no começo do ano estavam liberados apenas R$ 2,56 bilhões, que era o mesmo patamar de 2004 (ou seja, 17 anos atrás), quando nosso país tinha 18 instituições e 700 mil alunos a menos. Até o golpe 2016 a rede federal expandiu e chegou a 1,3 milhões de estudantes, mas, depois daquele ano, os orçamentos vêm sendo reduzidos.

💰 O orçamento proposto pelo governo federal para 2022, nesse contexto, não repõe a sequência de cortes que as universidades federais sofreram nesses últimos anos, já que é menor do que todos entre 2011 e 2020.

😰 Os recursos, inclusive, não são suficientes para garantir o retorno às atividades presenciais com segurança sanitária.

✊ O orçamento de 2022 ainda não está fechado. Há margem para negociação com o parlamento. Por isso, é fundamental fazermos pressão sobre o Congresso Nacional. É o futuro das nossas instituições que está em disputa. E o de todo o país.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp