Reforma Administrativa: Recém-contratados viram reféns da política

Reforma Administrativa: Recém-contratados viram reféns da política

😠 A Reforma Administrativa (PEC 32/2020) substituirá o estágio probatório do servidor público recém-contratado pelo vínculo de experiência: um “período teste” de 2 anos sem garantia de permanência no cargo e estabilidade após esse período.

💔 Ou seja, ele estará sujeito a pressões políticas e a vários tipos de assédios por parte de seus gestores (por exemplo, para envolvimento em casos de corrupção). Caso não ceda, poderá ser demitido, sem chance de questionar e entrar com processo administrativo.

👉 Quando a fase terminar, 90% dos servidores não terão direito à estabilidade (apesar de empossados), e seguirão sofrendo os mais diversos abusos.

O fim do estágio probatório é uma medida desrespeitosa e que fere o princípio da impessoalidade no serviço público.

😰 Nas universidades e institutos federais, é mais uma violação à autonomia didático-científica e à liberdade de pensamento e de cátedra dos docentes.

A PEC 32/2020 precisa ser barrada com urgência, pois não trará melhorias ao serviço público. Somente destruição.

#ReformaAdministrativaNão #GovernoContraoPovo #GovernoMente #DefendaoServiçoPúblico #PEC32Não #ServiçosPúblicos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu