Em assembleia, docentes do IMS discutem condições de trabalho no campus e avaliam a greve na UFBA

No dia 29, aconteceu a Assembleia Geral de docentes do Instituto Multidisciplinar em Saúde da UFBA, em Vitória da Conquista.  Entre os pontos de pauta, constava o debate sobre a mobilização em prol do campus Anísio Teixeira e da melhoria das condições do trabalho docente no local. Foi feito um repasse sobre a reunião do Comando Local de Greve com a Coordenação Acadêmica e a Direção do campus para discutir a sobrecarga de trabalho das professores e professores, ponto que está presente na pauta local. Também houve repasse da reunião, realizada pela manhã e aberta para todo corpo docente, com Penildon Silva Filho da PROGRAD e Nancy Rita Ferreira da SUPAC, na qual discutiram critérios para a distribuição de vagas docentes na UFBA. Dessas reuniões, algumas exigências referentes ao campus foram elencadas – a exemplo da disponibilização de novas vagas e de mais recursos para o IMS, e do cumprimento das licitações de obras – e, em seguida, a Assembleia deliberou pela realização de um ato, levando essas reivindicações, no dia 16 de outubro na reitoria da UFBA.

Quanto a greve na Universidade, os presentes fizeram ponderações acerca da validade das discussões e encaminhamentos, realizados nas assembleias do IMS, frente à indiferença destas nas decisões tomadas em Salvador. Apesar dessa avaliação, reiteraram a importância política do posicionamento dos docentes do IMS na conjuntura da UFBA e da necessidade de ocupar cada vez mais o espaço legítimo nas decisões da universidade. Sendo assim, foi deliberada por uma nova Assembleia Geral no dia 01, quinta-feira, para que, em posse dos resultados da assembleia em Salvador, os docentes do IMS avaliem seu posicionamento quanto a permanência ou não na greve e, caso seja aprovada a saída da greve, a elaboração de uma carta em apoio.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu