PROIFES participa de discussão sobre carreira docente em Pernambuco

Carreira Docente. Este foi o tema central de discussão, promovida pela Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pernambuco (ADUFEPE), na manhã de quarta-feira (24), às 9h, no Auditório Paulo Rosas – localizado dentro do campus da universidade. ANDES e PROIFES, as duas unidades sindicais possuem, no geral, visão e perspectivas de carreira distintas para a categoria docente. E este foi o foco do evento: compreender, discutir e ter ciência desses pontos. O vice-presidenta do PROIFES, Flávio Alves da Silva, presidente da Adufg Sindicato, participou da discussão.

Augusto Barreto, presidente da ADUFEPE, realizou a introdução do evento para que, em seguida, Eduardo Rolim (presidente da PROIFES) iniciasse sua apresentação. Mostrando o histórico da entidade (com números e pontos positivos de acordos assinados), o professor explicou as principais diretrizes e visões do sindicato para a carreira docente. Entre os tópicos abordados, Rolim enfatizou o acordo de 2012 (assinado apenas pelo PROIFES), a lógica na estrutura e reestruturação de carreiras.

Representando o ANDES, Amauri Fragoso (1ª Tesoureiro do sindicato) iniciou sua apresentação contextualizando a influência da mídia ao pensamento sindical. Críticas ao neoliberalismo e a determinados acordos – os de 2008 e 2012, em especial – foram realizadas por Fragoso. “Não podemos criar ‘empresas de professores. Carreira não dá mais para discutir com média salarial”, pontuou.

Após as apresentações, Augusto Barreto retificou o intuito da iniciativa: “O objetivo do debate é tirar dúvidas sobre a carreira. Não é para medir forças de sindicato”. E, logo após, iniciou o debate com a primeira sessão de perguntas – cada debatedor teve cinco minutos para resposta. Após o questionamento do professor Audísio Costa, Rolim explicou os motivos da ruptura com o ANDES e sua consequência para a criação da PROIFES.

“Gostaria que a ADUFEPE estivesse no PROIFES. Estamos sempre abertos para debates e discussões”, afirmou Rolim. Depois de mais duas rodadas de perguntas, Barreto anunciou as considerações finais do evento. Nas palavras do presidente da entidade, a ADUFEPE está aberta para todas as visões: “A ADUFEPE é autônoma. Dialogamos com muita tranquilidade com os sindicatos. Nossa história não é sectária”, declarou.

Fonte: Adufg Sindicato

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu