Troca de experiências e roda de conversa encerram 2º Encontro Nacional de Educação Infantil do PROIFES-Federação

O 2º Encontro Nacional de Educação Infantil do PROIFES-Federação, realizado em Natal (RN), se encerrou nesta sexta-feira, 7, com apresentação de casos, troca de experiências e roda de conversa entre docentes de núcleos de educação infantil vinculados a diferentes universidades em todo o país. Durante três dias, docentes da educação básica de escolas vinculadas às universidades debateram assuntos como Base Nacional Curricular Comum (BNCC), impactos da Reforma da Previdência sobre docentes da educação infantil, básica e ensino fundamental, resistência aos desmonte das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) e metodologias de ensino aplicadas à educação básica.

Na manhã do último dia o foco dos debates, com o tema “Escola inclusiva: compartilhamento de experiências”, foi a apresentação de estudos de caso e trabalho pedagógico sobre a inclusão de alunos com deficiência nas unidades de educação infantil vinculadas às universidades.


Avaliação da delegação da Apub

O 2º Encontro Nacional de Educação Infantil debateu aspectos acadêmicos relevantes relacionados as implicações teóricas-práticas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a inclusão das crianças com deficiência nas unidades de Educação Infantil nas IFES.  No tocante a BCC os direitos fundamentais para o desenvolvimento e aprendizagem dos bebês e das crianças bem pequenas,  no contexto da Educação Infantil  foram resguardados no texto, em função da luta de profissionais da área,  mas cabe a cada instituição no Projeto Política Pedagógico e nas práticas contemplar as diretrizes do BCC, mas sem perder de vista a realidade em que as crianças estão inseridas, pois o território brasileiro tem uma diversidade de crianças e infâncias.

No que se refere a Educação Infantil Inclusiva foram relatadas várias experiências com estudo de caso de diversas Unidades de Educação Infantil nas IFES. Nos relatos e no debate foram evidenciados diferentes formas de acesso e que cada instituição busca atender as crianças com deficiências de modo a proporcionar interações e brincadeiras que possibilitem respeitá-las como sujeitos de múltiplas potencias, dentro das suas diferenças.

O debate trazido pelo Profº Eduardo Rolim em relação aos impactos da Reforma da Aposentadoria das professoras/professores da Educação Básica trouxe reflexões e posturas sempre atentas as ações do (des) governo atual, que tem pleno apoio do Congresso Nacional para imputa seus projetos de lei. Embora no texto EC 103/2019 de 12/11/2019  dizer resguardar aposentadoria especial, há vários prejuízos para os professores/as professoras da educação básica que ingressaram no serviço público com alargamento de tempo para usufruir a integralidade dos proventos, principalmente,  para  o cumprimento do Pedágio de 100% para os docentes que ingressaram em diferentes períodos na carreira do EBTT nas IFES e Educação Básica nas redes estaduais e municipais.

Outro aspecto a considerar como nefasto é perda da inconstitucionalidade da Regulamentação da Previdência Social que requer uma atitude de atenção pelos docentes e movimento sindical, pois pode cercear mais direitos adquiridos, haja vista que o governo imputa a responsabilidade pelo déficit da dívida pública ao funcionalismo público como forma de suprimir direitos dos servidores.

Nos encaminhamentos várias propostas foram suscitadas como a presença de mais professores/professoras da carreira do EBTT de outras unidades da federação.

Veja abaixo vídeo sobre a roda de conversa que encerrou o 2º Encontro Nacional de Educação Infantil do PROIFES-Federação:

Fonte: PROIFES-Federação

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp
Close Menu