Mobilização de servidores contra congelamento salarial; Bolsonaro anuncia que vetará possíveis reajustes

O presidente Jair Bolsonaro anunciou ontem (07) que vetará os destaques ao PLP 39/2020, propostos pela Câmara e aprovados pelo Senado no dia 06, acerca da exclusão de algumas categorias de servidores, entre elas os/as trabalhadores/as da educação.

O projeto, que impõe o congelamento dos salários dos servidores até dezembro de 2021 como contrapartida ao auxílio da União a estados e municípios, foi fruto de uma chantagem do Ministro da Economia, Paulo Guedes, articulado com o presidente do Senado, Davi Acolumbre, para a liberação do recurso de cerca de 125 bilhões para enfrentamento à pandemia. Ressalta-se que a tentativa de atacar os servidores e desmontar o Serviço Público não é nova, está na agenda desde o início do governo.

Durante a semana, a Apub e os/as professores/as estiveram mobilizados para pressionar os parlamentares contra a aprovação do congelamento salarial de todos os setores. Para os docentes das IFES, o projeto abre a prerrogativa de congelamento do tempo da carreira e dos efeitos financeiros das progressões e promoções.

Sobre o assunto, confira o vídeo da presidenta da Apub, Raquel Nery

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp
Close Menu