Para o PROIFES, nomeações de reitores não aprovados em consulta ferem autonomia universitária

Diante da nomeação do novo reitor da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Luiz Fernando Resende dos Santos Anjo, nome não indicado na consulta a acadêmicos, técnicos e professores, o PROIFES-Federação expressa publicamente seu repúdio a mais um ato autoritário e desmedido do governo federal.

O desrespeito do governo de Jair Bolsonaro à nomeação do primeiro nome da Lista Tríplice fere gravemente a autonomia universitária, expressa no artigo 207 da Constituição Federal, em vigor. Trata-se de uma violação, sem precedentes, da autonomia das universidades públicas federais e é uma violência explícita contra a Educação.

Além da UFTM, na Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), no Mato Grosso do Sul, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, designou a pedagoga Mirlene Ferreira Macedo Damázio como reitora em caráter temporário , e na   Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), o Colégio Eleitoral não seguiu o resultado das urnas e encaminhou o nome que não passou pela consulta eleitoral.

Neste sentido, o PROIFES-Federação reitera seu compromisso com a defesa da autonomia universitária e liberdade de cátedra, condições necessárias e essenciais para que o progresso científico aconteça, e reforça a defesa da Democracia, do respeito à Constituição Federal de 1988 e da Educação.

PROIFES-Federação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu