Spread the love

Reunidos em Assembleia Geral no dia 29 de novembro, no auditório do PAF I, docentes da UFBA deliberaram pela adesão da categoria à Greve Nacional do dia 05 de dezembro, convocada pelas centrais sindicais, contra a Reforma da Previdência e a retirada de direitos. A Plenária debateu o cenário de ataques à universidade e aos serviços públicos, o crescimento do fascismo, as ameaças de privatização da educação pública expressas no relatório do Banco Mundial e a nova ofensiva do governo pela aprovação da Reforma da Previdência. Os encaminhamos foram no sentido de ampliar a articulação entre as entidades da UFBA, o diálogo com a sociedade e fazer um contraponto à narrativa do governo. Representantes do DCE/UFBA participaram da Assembleia e declararam também a adesão dos/as estudantes à Greve e a sua disponibilidade a construir atos conjuntos. Sobre a mobilização para o dia 05, foi decidido seguir a agenda das Centrais e Frentes participando do ato marcado para as 15h no Campo Grande. Nos dias anteriores, haverá passagem de carro de som em toda a UFBA convocando para o ato e veiculação de spot em rádio.

Encaminhamentos: 

– Adesão à Greve Nacional do dia 05 de dezembro;
–  Contratação de carro de som e realização de spot em rádios para mobilizar para o dia 05 e que os/as professores gravem pequenos vídeos chamando para os atos para serem divulgados pela Apub;

– Que a Apub envie um representante para a Plenária Sindical e Popular no Sindicato dos Bancários, dia 30/11, às 17h;
– Que a Apub convide Assufba e DCE para articulação de um ato “Esquenta Greve” para o dia 04/12;
– Publicação de moção de solidariedade à Greve dos servidores técnico-administrativos da UFBA;
– Que a Apub convide as entidades de representação docente na Bahia para construção de uma Frente em defesa das universidades públicas. Data proposta para reunião: 13 de dezembro;
– Que na reunião do Fórum acima citado, a Apub paute a realização de uma campanha midiática unificada contra a reforma da previdência e em defesa das universidades públicas;
– Que caso a campanha unificada não seja possível, a Apub se comprometa a realizá-la sozinha, respeitadas as limitações orçamentárias do sindicato;
– Continuidade da articulação com DCE e Assufba para ato político-cultural no dia 13 de dezembro, na Praça das Artes;
– Realização de aula pública sobre o golpe na educação;
– Que os professores articulem um calendário de aulas públicas, por unidade, que terão o apoio logístico da Apub;
– Envolver os estudantes na organização das aulas públicas e demais atividades;
– Identificar e mobilizar os professores que já realizam atividades de extensão e dar mais visibilidade a elas;
– Acionar o Conar a respeito da propaganda da Reforma da Previdência feita pelo governo;
– Realização de debates sobre os seguintes temas: realidade econômica da previdência e lógica do sistema contributivo solidário; legalidade e constitucionalidade das reformas; privatizações e defesa da universidade pública e gratuita;
– Publicar moção de repúdio à aprovação de porte de armas para moradores rurais.