Spread the love

O pleno do Fórum Nacional Popular de Educação (FNPE) reuniu-se nesta quinta-feira, 21, em Brasília, para fazer um balanço da Conferência Nacional Popular de Educação (Conape) 2018, realizada entre os dias 24 a 26 de maio, em Belo Horizonte, e apontar os próximos passos do FNPE frente a atual conjuntura.

Na reunião desta quinta, na sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), a realização da Conape foi considerada um sucesso por todos os presentes; o evento reuniu mais de três mil pessoas na capital mineira, e durante três dias debateu políticas, desafios e avanços da educação pública brasileira, em todos os níveis, mobilizando docentes, estudantes, sindicalistas e representantes de movimentos ligados à educação.

“A Conape renovou nossas esperanças na luta, e o sucesso do evento mostrou novamente que vale a pena lutar. Mas a continuidade dos debates, das ações propostas e das mobilizações continua sendo um desafio, porque enfrentamos um governo golpista que continua construindo uma Conae, que é uma tentativa de destruir o Plano Nacional de Educação. Justamente por isso construímos a Conape, com muito esforço, mas muita vitória também”, afirmou o presidente do PROIFES-Federação, Nilton Brandão.

Além dos informes e avaliações sobre a Conape, a reunião na CNTE debateu também a necessidade de permanência e continuidade do FNPE, para dar consequência e desenvolver as ações propostas em Belo Horizonte, com foco no combate à Emenda à Constituição 95, que congela gastos sociais pelos próximos vinte anos, e praticamente inviabiliza a educação pública brasileira.

Para o próximo período, o pleno do FNPE decidiu, por unanimidade, que o PROIFES-Federação e a Confederação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Estabelecimentos de Ensino (Contee) farão parte da coordenação-geral do FNPE, somando-se nesta função à CNTE, CUT e ANPED (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação). Além da ampliação da coordenação, foi decidido, também por unanimidade, que a secretaria-executiva passa de Heleno Araújo, da CNTE, para Adércia Hostin, da Contee.

Fonte: PROIFES-Federação