Segundo dia da Greve Nacional da Educação tem ato no Campo Grande

Na manhã de hoje (03), o ato em defesa da educação pública tomou as ruas do Campo Grande e foi até o Campo da Pólvora em Salvador. A atividade unificou, novamente, as entidades de vários setores da Educação: Apub Sindicato, Assufba, ADUNEB, Sinasefe, APLB, DCE/UFBA, UEB, UNE e UBES. Ainda fizeram parte da manifestação as Centrais Sindicais, como CUT e CTB.

Uma parte do grupo de manifestantes esteve antes na Reitoria da UFBA, onde aconteceu a posse da nova diretoria da União dos Estudantes da Bahia, que logo após seguiram para a Praça.

O vice-presidente da Apub, Emanuel Lins falou durante o ato sobre a defesa do projeto de Universidade pública e gratuita e a ameaça que o Future-se representa. “Há 15 anos, temos uma Universidade que recebe estudantes negros, povos originários, indígenas em seu corpo acadêmico. Em 10 anos, a Universidade duplicou seu tamanho, tinha 18 mil alunos de graduação e hoje tem quase 40 mil estudantes. Uma Universidade que mudou seu perfil social, porque hoje 70% dos estudantes das federais e estaduais são membros de famílias com renda de até um salário e meio. E é exatamente isso que o governo Bolsonaro não quer que continue”.

Além disso, o professor também denunciou a tentativa de quebra com o pacto constitucional de financiamento público das IFES: “ele [Bolsonaro] quer passar a responsabilidade do financiamento para instituições privadas, quer colocar organização social para tutelar as Universidades e Institutos Federais para impedir que continuemos fazendo espaços de reflexão para combater políticas fascistas. E esta é nossa tarefa, formar pessoas para lutar por vidas melhores, para lutar por uma vida mais digna, mas também formar para a Democracia e para a cidadania”, afirmou.

Na tarde de hoje, a Apub continua com atividades de mobilização e formação como parte da agenda da Greve Nacional. Agora a tarde, tem início o Seminário Nacional “Universidade pública: autonomia e financiamento”, no auditório do Insituto de Biologia da UFBA, promovido pelo sindicato e pelo PROIFES-Federação. A primeira mesa, a partir das 14h, será “Cenário e desafios da Universidade pública no Brasil” e, em seguida, às 17h, “Universidade pública e sociedade brasileira”. À noite, acontece uma confraternização será o Bar D.E., na sede da Apub, que contará com lançamento do livro “Breve história da vida e morte de Anísio Teixeira” do professor João Augusto Rocha e show de Wilson Aragão e convidados.

A programação do Seminário continua até amanhã (04), durante todo o dia. Confira aqui.

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp
Close Menu