Em assembleia da Apub, docentes da UNILAB compõe Comissão para eleição de representantes do Conselho Gestor dos Malês

Na manhã de hoje, 19 de novembro, a Apub realizou uma Assembleia Geral online para tratar de pautas referentes ao campus dos Malês da UNILAB: organização de processo eleitoral para escolha de representantes para integrarem o Conselho Gestor do Campus dos Malês, com base na Portaria Reitoria Nº 284, de 25 de agosto de 2021; e a mudança do projeto curricular do BIH e desafios à continuidade do campus dos Malês: impactos para a categoria docente.

O presidente da Apub, Emanuel Lins, na condução da sessão, congratulou a realização desta que foi a primeira assembleia com pauta exclusiva para a UNILAB, assim como a organização das/os docentes dos Malês, parte fundamental da resistência do campus. Destacou ainda na fala a atuação do Conselho de Representantes dos Malês – professores Márcio André dos Santos e Carlos Guerola, como suplente – e da presença da professora Jucélia Santos na diretoria do sindicato, o que dá sustentação e legitimidade à luta e representação da Apub nas universidades federais baianas em sua diversidade.

O professor informou ainda, antes de dar início à discussão da pauta, sobre a ação judicial da Apub em relação aos pedidos de retroatividade nos processos acumulados de progressão e promoção, questão presente em todas as universidades e tem relação com uma portaria do Ministério da Economia. Como combinado, o tema deverá ser retomado em outro momento.

Na sequência, o presidente introduziu o primeiro ponto explicando que o Conselho Gestor do campus fora da sede está previsto no Estatuto da UNILAB e no seu Regimento Geral, o qual define o processo de escolha dos representantes docentes. Após apresentação da Portaria e apontamentos a respeito das definições do regimento, foi discutido e elaborado o cronograma para as eleições do Conselho; e formada a comissão responsável pela organização das eleições para escolha de dois representantes docentes no Conselho Gestor do campus dos Malês e, eventualmente, de três coordenadores(as) de graduação e pós-graduação. Como titulares, Clarisse Goulart Paradis, Márcio André de Oliveira dos Santos e Sabrina Rodrigues Garcia Balsalobre; como suplente, Paulo Gomes Vaz.

O segundo ponto de pauta discutiu os impactos da reforma curricular do Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades para a categoria docente, considerando, entre outras questões, ameaças em relação à manutenção de cursos e das atividades presenciais, redução das matrículas, desestruturação do ENEM, grande evasão de estudantes diante da ausência de políticas de permanência e de melhorias no campus. Os presentes apontaram que os possíveis impactos perpassam por questões como redução da carga horária, realocação e condições de trabalho. Em relação aos desafios da continuidade do campus dos Malês, as/os docentes mostraram-se preocupados, principalmente diante do alinhamento do atual reitor com o Ministério da Educação e sua recusa em responder aos ofícios do sindicato e à mobilização docente que pautam as demandas dos Malês. Para eles, o próprio retorno presencial está ameaçado. Assim, deliberaram os seguintes encaminhaments:

1) Constituir Grupo de Trabalho “Organização Docente na UNILAB”;

2) Estabelecer contato institucional direto com o Reitor solicitando audiência. Caso não haja êxito, publicar documento apresentando as demandas do campus e reiterando o pedido de audiência para debater os temas, conforme solicitado nos ofícios 15/2021 e 17/2021;

3) Estabelecer conversa com agentes políticos do município de São Francisco do Conde.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu