Mulheres baianas lançam campanha de combate ao feminicídio no Estado nesta sexta (07)

Com o grito “Nem Pense em Me Matar – Quem mata uma mulher mata a humanidade”, iniciativa combate a pior face da violência contra a mulher, que ainda é crescente no Estado, sobretudo no contexto da pandemia de Covid-19

Faltando poucos dias para o 13 de Maio, data que marca a assinatura da lei que  “aboliu” a escravatura no Brasil, mulheres de diversas faixas etárias, classes sociais, cores, raças e credos se unem para lançar a Campanha “Nem Pense em Me Matar – Quem mata uma mulher mata a humanidade”, movido pela frente suprapartidária Levante Feminista contra o Feminicídio na Bahia. A iniciativa que acontece em todo o país tem o objetivo de enfrentar e combater o aumento dos feminicídios no Brasil, que atinge em maioria as mulheres negras.

O assassinato de mulheres é uma das circunstâncias qualificadoras do crime de homicídio previsto na lei nacional 13.104, que entrou em vigor em março de 2015. Seis anos depois, o crime do Código Penal Brasileiro ainda é uma realidade crescente em diversos municípios brasileiro. Em 2020, o país registrou uma denúncia de violência contra a mulher a cada cinco minutos. No primeiro semestre, em virtude do isolamento social no início da pandemia de covid-19, os números aumentaram 1,9%, totalizando 648 brasileiras assassinadas, a maioria de mulheres negras e vivendo em desigualdade social.

Na Bahia, a Campanha será lançada nesta sexta (07), às 19h, com a Live Ato, através do Youtube e do Facebook, reunindo dezenas de mulheres de diversos municípios e regiões do Estado. Além da live, uma série de ações e atividades estão previstas para ocorrer em toda a Bahia, entre elas, um ato no Monumento As Meninas do Brasil (As Gordinhas de Ondina), em Salvador, ainda para este mês de maio. A frente Levante Feminista contra o Feminicídio iniciou uma mobilização online a partir de um abaixo assinado, que já conta com o apoio de quase 110 mil assinaturas, de diversas organizações de movimentos sociais, culturais, de mulheres.

Campanha Nacional

A frente suprapartidária Levante Feminista contra o Feminicídio surgiu a partir da iniciativa puxada pela sociológa Vilma Reis, pela filósofa Marcia Tiburi e pela assistente social Tânia Palma. Atualmente, o grupo reúne centenas de integrantes em todo o país, como mulheres negras, brancas, quilombolas, indígenas, ribeirinhas, antiproibicionistas, das águas, das florestas, parlamentares, dos movimentos LBTQIA+ e de outras organizações populares e da sociedade civil.

“A ascensão de grupos neofascistas, de fundamentalistas religiosos, de latifundiários e extrativistas que propagam ideias e atitudes machistas e racistas, coloniais e de subordinação e dominação das mulheres, precisa parar por aqui.  (…) O que precisamos nesse momento é de programas consistentes de enfrentamento à cultura patriarcal e racista que leva ao feminicídio. Do contrário, não haverá paz no Brasil. É evidente que o machismo, os ataques brutais e a matança de brasileiras arruínam a democracia”, destaca o Manifesto construído pela frente.

O mote da campanha “Nem Pense em Me Matar” vem da canção “Corpo Meu”, uma composição de Cris Pereira, interpretada por Fabiana Cozza.

Serviço

O que: Lançamento da Campanha Levante Feminista contra o Feminicídio na Bahia

Horário: 19h

Onde: Facebook e Youtube @LevanteFeminista 

Hashtags:

#NemPenseEmMeMatar

#NemPenseEmNosMatar

#QuemMataUmaMulherMataAHumanidade.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu