UFRB – Seminário discutiu curricularização da extensão

Dia 13 de julho, a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e a Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) promoveram o Seminário Ensino e Extensão: Diálogos e Convergências, que discutiu a curricularização da extensão, seus motivos e possíveis caminhos.

Durante o evento, os pró-reitores de extensão da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Cipriano Vasconcelos, e da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Dulce Aquino, apresentaram experiências que visam contribuir para o cumprimento da meta estabelecida pelo Plano Nacional de Educação (PNE), que prevê que pelo menos 10% da carga horária das matrizes curriculares dos cursos de graduação sejam destinados a atividades de extensão, ampliando o diálogo entre universidade e sociedade.

A experiência pioneira da UFBA, que criou, em 2001, disciplinas caracterizadas como Atividades Curriculares em Comunidade – ACC, foi apresentada como um modelo a ser observado. Para a professora Dulce Aquino, “o que está em pauta é uma formação universitária cidadã, ética e solidária”.
Na UFRB, o Bacharelado Interdisciplinar de Saúde vem testando o PAR – Processo de Apropriação da Realidade, mecanismo através do qual o estudante acompanha e intervém na realidade de uma comunidade ao longo de cinco semestres.
Hoje, nas universidades brasileiras, apenas 5% dos estudantes fazem ações de extensão. O objetivo, segundo o professor Cipriano Vasconcelos, é “universalizar o acesso às ações de extensão”. Para a pró-reitora de extensão da UFRB, Ana Rita Santiago, anfitriã do evento, junto com a professora Maria Helena Besnosik, da UEFS, o encontro, que reuniu mais de cem participantes, pode ser considerado um marco para o desenvolvimento das políticas de extensão das duas instituições.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Close Menu